Petição "Loriga a concelho"

Esta petição serve uníca e exclusivamente para alertar todos os Loriguenses e amigos sobre o sistemático abandono que Seia tem presenteado Loriga e toda a região circundante, aos longo dos tempos, contribuindo assim para a falta de recursos humanos, sociais, culturais, desportivos e lazer. Assine e divulgue. http://www.peticao.com.pt/loriga

terça-feira, 24 de março de 2009

Concelho de Seia-Caracterização enganosa



Quem for ao site da câmara Municipal de Seia, mais concretamente aqui depara-se com esta bela caracterização do concelho.
No concelho só existe a cidade de Seia?
Porque não caracterizam todo o concelho a nível de desenvolvimento?
Das duas uma, ou mentiam ou então diriam que o concelho de Seia está a desaparecer do mapa:


Este quadro resume todo o concelho, mas se espiolhar-mos cada uma das freguesias o cenário é negro. Por exemplo a freguesia da cabeça:

Quase todas as freguesias se deparam com esta situação.
A desertificação é apenas um dos muitos indicadores que provam o retrocesso e o marasmo do Concelho de Seia


2 comentários:

José C Mendes disse...

Em expansão demográfica não é concerteza, a avaliar pelos dados apresentados.
Um abraço e boa semana, Pedro.
José C Mendes

Anônimo disse...

A figura retrata a desertificação das aldeias da zona sul do concelho de Seia que, de resto, não foge ao problema global do país. Principais causas: os baixos índices de natalidade e o "boom" industrial da segunda metade do século XX que levou as populações do interior para os complexos industriais dos grandes centros, abandonando as zonas rurais. Loriga é um caso paradigmático "a contrario", na medida em que, estando na periferia do concelho, concentrou pessoas (operários) quando as demais aldeias se despojavam das suas gentes. Com a falência de toda a sua indústria no final do século XX, Loriga sofreu o maior terramoto da sua história. Ficou pior que as restantes aldeias, por não ter agora para onde fugir, dada a falência do sistema económico-financeiro global. Loriga tem agora uma população à deriva, saudosa do passado, isolada e sem rumo, desertando para tudo quanto é sítio.
Loriga merece um estudo produndo do problema. Concordo com o comentador anterior. Seria interessante que o autor do blogue fornecesse alguns dados estatísticos sobre a desertificação da sua terra, certamente duros, cruéis, impressionantes, difíceis de mostrar!
(PAULINO)